Carta Pastoral apresenta diretrizes sobre as aparições de Nossa Senhora em Cimbres (PE)

Carta Pastoral apresenta diretrizes sobre as aparições de Nossa Senhora em Cimbres (PE)

A Diocese de Pesqueira, por meio da publicação de uma Carta Pastoral, apresenta diretrizes e orientações acerca das presumíveis aparições de Nossa Senhora da Graça, ocorridas em Cimbres, naquele município. O pronunciamento foi feito pelo bispo diocesano, Dom José Luiz Salles, nesta quarta-feira (13), em uma coletiva de imprensa realizada no Colégio Damas, no Recife (PE).

O documento, que contém 50 páginas, é dividido em três partes: a primeira, aborda fundamentos históricos, bíblicos e teológicos que respaldam o fenômeno envolve aparições; a segunda, por sua vez, ressalta as dimensões missionária, silenciosa e, ao mesmo tempo, anunciadora da Igreja; e, por fim, a terceira expõe encaminhamentos pastorais.

Em 85 anos, desde a primeira aparição, ocorrida em 06 de agosto de 1936, esta é a primeira vez que a Igreja Católica faz uma declaração oficial sobre as aparições e as mensagens reveladas à Maria da Conceição e Maria da Luz. Esta última tornou-se Religiosa da Instrução Cristã e ficou conhecida com Irmã Adélia. Em 2019, foi solicitada ao Vaticano a abertura do processo de beatificação e canonização e, dessa forma, ela poderá ser a primeira santa pernambucana.

“Declaramos que, nas relatadas aparições da Virgem Maria, na Aldeia Guarda, sob o título de Nossa Senhora da Graça, há elementos, traços e sinais que abalizam e sinalizam a grande probabilidade do caráter sobrenatural da experiência vivida pelas jovens Maria da Luz, Irmã Adélia, e Maria da Conceição”, afirmou o bispo diocesano.

O teor das mensagens também foi outro ponto abordado por Dom José, que ressaltou a autenticidade e a comunhão com a Igreja. “As mensagens comunicadas durantes as alocuções com as videntes, acuradamente documentadas e cuidadosamente analisadas estão em profunda consonância com as verdades da fé cristã contidas nas Sagradas Escrituras e na Doutrina Católica e em nada contrastam com a moral e os costumes”, destacou.

O local das aparições, que costuma receber romeiros de todos os cantos do país e do mundo, conta, a partir de agora, com a dedicação exclusiva de um padre diocesano, que foi designado para acompanhar e dirigir, espiritualmente, os grupos de fiéis que visitarem o lugar. A chegada do sacerdote possibilitará uma frequência maior na celebração de missas e no sacramento da confissão para os romeiros.

A superiora provincial do Instituto das Religiosas da Instrução Cristã, Irmã Cleonice Santos, comemorou a iniciativa. “Trata-se de um dia histórico, carregado de grande significado para todos nós. Estar, neste lugar, já é uma graça, pois é um espaço que nos envolve e nos fortalece espiritualmente. Aqui, as pessoas encontram alívio, sobretudo nas situações de dor em que o Senhor nos coloca no colo”, afirmou.

Na ocasião, também estavam presentes o postulador da Causa de Beatificação e Canonização de Irmã Adélia, Frei Jociel Gomes; o presidente da Comissão Histórica, professor Carlos André Moura; o vigário geral da Arquidiocese de Olinda e Recife, padre Luciano Brito; e a irmã Flávia Matias, do Instituto das Religiosas da Instrução Cristã. Em seguida, foi celebrada uma missa na Capela do Colégio Damas na intenção pelos oito anos de falecimento da religiosa.

Coletiva de Imprensa – Pela primeira vez, Igreja Católica faz pronunciamento sobre aparições de Nossa Senhora em Cimbres (PE)